10 de junho de 2011

Alone


Chegando em casa, após exaustivos passos de xaxado, vejo minha novela favorita. Triste desde cedo, as mágoas dominam meu coração. Estou mais sensível que nunca, qualquer motivo é suficiente para sentir-me prostrada. Não tenho ninguém, me sinto absolutamente só. Uma dose nesse momento, é minha mais perfeita companhia, até o seu gosto amargo adocica minha vida e me faz esquecer dos problemas nem que seja por um momento... Mas logo que volto a lembrar, fico triste novamente, com vontade estranha de desaparecer desse mundo. 

Já ouvi músicas tristes, com melodias deprimentes, daquelas que só com elas consigo chorar, só com elas consigo colocar pra fora tudo aquilo que sinto. Preciso de alguém para me ouvir, e nesse momento não há ninguém. Eu ando sem vontade para mais nada, e não sei mesmo porque eu estou me sentindo assim, mas de uma coisa eu sei, quando eu descobrir a fórmula da felicidade, prometo guardá-la com todo o meu amor possível, pois a ventura é uma coisa que se você demora a alcançá-la, ela pode escorrer pelas suas mãos em questão de  segundos, e talvez nunca mais volte.

J. Gabriella Barros

Nenhum comentário:

Postar um comentário