3 de outubro de 2016

Atrevimento dos corajosos

Escolhas feitas com a 'cabeça quente' ou num momento muito confuso são capazes de gerar más consequências... interrompa a lava que brota no seu peito e aprenda a reconhecer que esse é um mau momento para decidir alguma coisa. É melhor não sentenciar nada por enquanto, por essa ser uma hora propícia apenas para recolher-se. 
Nesses momentos, vale buscar apoio em suas crenças espirituais, se tiver alguma. É possível que a noite escura que você atravessa seja apenas uma fase temporária. Com essa questão, surgem outras inquietações: a dúvida de que nada será como antes, de que a dificuldade durará para sempre e de que existe uma só saída possível, a fuga. Isso não é verdade. Muita água ainda pode rolar debaixo dessa ponte se, como bons comandantes, tivermos a coragem de manter o leme na mesma direção durante a borrasca. Mas também há a época certa para ouvir as inquietações da alma e fazer novas escolhas. É quando elas são muito insistentes e duram há muito, muito tempo. Um longo processo, portanto. 
Pode ser que esteja realmente na hora de você mudar de vida, de abandonar projetos antigos e de se renovar internamente. Mas lembre-se: nunca é alguma coisa fora de você, ou principalmente uma pessoa fora de você, que deve ocasionar esse novo caminho. A opção pela mudança vai requerer uma transformação íntima, pessoal e profunda, mas ela deve surgir de uma escolha interna sua, só sua, sem influência de ninguém ou de uma circunstância externa. E esse pode ser o seu momento de escolher, sem medo. Então respire fundo para encontrar força e coragem. Levante a cabeça e vá em frente. Desconfio que alguém, sorrindo, vai estar perto de você a cada passo. 
E assim, cada vez mais, o aprendizado perpetuará. Hoje, melhor que ontem. Amanhã, muito mais que hoje e dia após dia, a cabeça se constituirá, tomará as rédeas de si mesma e receberá da melhor forma o fator de transitoriedade das coisas. Sejam elas saudáveis ou decrescentes.

Joyce Gabriella Barros.

Um comentário: