23 de dezembro de 2016

Movimentos cíclicos

O mundo anda tão populado por coisas ruins que às vezes a gente acaba se contaminando um pouco, propagando a negatividade e esquecendo do que nos preenche ainda mais e dá vida ao corriqueiro, Profundamente e a clamar dentro de mim, há uma luz que pede pra nunca parar, nunca deixar, e mergulhar cada vez mais fundo nisso que chamamos de amor.
Crises instantâneas passam, mas o emanar da felicidade e reconhecimento de sua existência, altera o status para iluminado ao saber transmitir-se da melhor maneira possível pro objeto de amor, se enquadrando como um item relevante na construção da nossa experiência e troca.
No mais, me permito adiantar apenas para dizer apenas o quão os teus braços traçam sinais paradisíacos que postergam o fim do mundo e subvertem a ideia desse circuito de maldade e incompletude das coisas, estar ao teu lado é viajar pra uma imensidão incomum e festejar, por no meio de tanta coisa sem graça e frívola, encontrar você, saber que teu sentimento permanece concentrado do lado, na minha linha de acesso por onde quer que eu vá, tornando esse ritmo um verdadeiro fio condutor que nunca para de fluir sobre a intensidade da nossa magnífica relação de transmissões recíprocas entre os nossos sistemas físicos, desencadeando uma saudade anormal e cada dia mais crescente mesmo depois de um energético e prolongado final de semana - lotado de você. 
É um movimento cíclico 
incansável, 
que eu desejo que dure por toda nossa anormalidade
e não escoe no vento ou se perca em andanças mundo a fora.

BARROS, Joyce Gabriella. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário